Grunge

Hey.

Misture Heavy Metal com Punk, jogue um pouco de Rock Alternativo e talvez isso explicará o Grunge. Ou não.

O Grunge não é um ritmo pouco conhecido, mas é meio difícil encontrar uma identidade musical nas bandas postuladas como Grunge, a menos que se leve em conta o contexto.

O Contexto: anos 80, breguice no ar, pop nas paradas e rock posando e usando maquiagem. No cenário underground, gente modesta, com camisa de flanela, tocando o bom e velho rock’n’roll. Nesse meio, o jovem Kurt Cobain gravava com sua banda Fecal Matter (bandas amadoras ainda soam assim). Num belo dia o jovem Kurt fez o Nirvana, que lançou o álbum Bleach. Noutro belo dia, em 91, lançaram o álbum Nevermind. E o mundo parou, embasbacado. De repente, os exageros dos anos 80 foram pro saco e o underground veio à tona, transformando o Rock Alternativo em um rótulo paradoxal.

Ok, talvez tenha sido menos dramático, mas o que importa é que Nevermind mudou a história do Rock. Se antes havia travecões exibidos e cheios de teatro como os Twisted Sister, agora a moda era ser “autêntico”, continuar usando roupas encardidas (em inglês “grungy”), gritar as angústias e negar a fama sempre. Não era preciso se fingir de sério ou mau; bastava não ligar a mínima – e o efeito era melhor ainda. Musicalmente, talvez dê pra identificar um clima mais arrastado ou soturno nos versos que depois explode nos refrões, com um vocal rouco e igualmente bipolar, mas essa descrição é muito superficial.

O Nirvana abriu a porta do submundo e trouxe com si outras 3 bandas de Seattle: Pearl Jam, Soundgarden e Alice In Chains. Essas duas últimas já estavam no mercado, mas foram alavancadas com o Nevermind. Pro leitor desatento, se você nunca ouviu Nirvana, a dica é: ouça Nevermind. Nirvana é famoso, então não vou falar mais deles.
Dos quatro, Alice in Chains é o mais pesado. Na verdade, poucas músicas podem se identificar como ‘Grunge’, pelo menos comparando com outras bandas do gênero. O maior sucesso deles é Man In The Box, e tem bastante cara de metal. Outras músicas mais grungy: Would?, What The Hell Have I e Rooster.

Se você já ouviu Audioslave, vai se familiarizar com o Soundgarden. Ambos contam com o vocal poderoso do Chris Cornell. Conheci essa semana e gostei bastante. Acho que são mais próximos do Hard Rock dos anos 70 e do Pearl Jam. Ouça: Black Hole Sun (medo da loirinha!), Spoonman e Fell On Black Days.

A única banda que perdura sem pausas é o Pearl Jam. No começo foram criticados por parecerem pops, mas detestam fazer clips e já boicotaram a Ticketmaster, que vendia seus shows. Pearl Jam é famoso... então se você nunca ouviu, ouça o álbum Ten e assista Do The Evolution.

Mais do Grunge: Stone Temple Pilots, com Plush; Screaming Trees, com Nearly Lost You; Mudhoney, com Let It Slide (lembra um Nirvana punk) e as meninas do L7, com Pretend We’re Dead, e do The Breeders, com Cannonball (clássica!).

Bônus: Soundgarden + Pearl Jam = Temple Of The Dog.

No mais, é isso aí.
Yeah.

2 comentários:

  1. Muitas pessoas hj em dia não gostam do Nirvana, mas não podemos esconder a importância que foi essa banda né? Gosto de algumas músicas de Pearl Jam tbm, mas não é meu estilo favorito. Mas achei bem interessante o post, com muito conteúdo.

    ResponderExcluir
  2. oi meninos... adorei o sítio de vc's: despretencioso, conteúdo bacana, relevante e, além disso, uma delícia de visitar... vou indicar... bjus
    Bia Nogueira

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...