Flamenco

¡Hola, chicos!

Vou falar sobre o Flamenco, em homenagem à campeã da Copa. Vou dedicar esse post ao meu ex-professor de violão, Caio Rothje (lê-se Rotiê), que me deu dicas sobre o assunto. Procurem vídeos dele tocando Flamenco Fusion no Youtube.

Era uma vez um lugar chamado Andalucía, no sul da Espanha. Esse ponto do mapa é estratégico e já passou pela mão de meio mundo: tribos africanas da pré história, Cartaginenses, Romanos, Vândalos e Visigodos. Em 711 os Árabes invadiram e ficaram por 700. Uma hora os árabes perderam o espaço, a Espanha se uniu e o resto não importa. Há também os Ciganos e Judeus Sefarditas, mas não sei como eles entram na história... E foi nessa paella étnica, por volta de 1700 ou 1800 e ninguém sabe quando, que o Flamenco nasceu.

Há duas coisas essenciais para o Flamenco: um violão e um espanhol rouco. Palmas e um cajón também aparecem. É marcante a intensidade e o sentimento da música, provavelmente de seus avós orientais. O ritmo tem postura e técnicas próprias, como o rasgueado e o golpe. Tocar Flamenco exige muito treino. Mas para fingir que sabe tocar Flamenco no violão, use a sequência Am, G, F e E. Não mostre isso pra quem manja. Ou pra qualquer um com bom senso.

Atenção! Há no Flamenco um subgênero chamado Tango, mas que nada tem a ver com o Tango Argentino.

Para conhecer o Flamenco, comece por Gipsy Kings. Não que eles sejam o ideal de Flamenco na Terra. Simplesmente são os mais pop, mais fáceis de achar e digerir. Por isso, muito estudioso considera os GK um lixo (pra quê tanta gente tocando violão?). Outro jeito de fingir que sabe tocar Flamenco é aprendendo músicas do GK. Alguns sucessos: Volare (original de Domenico Modugno), Bamboleo e Djobi Djoba. Baixar músicas deles aleatoriamente costuma dar certo.

Um cara que modernizou o estilo é Paco de Lucía. Ele deixa muita gente com inveja por sua habilidade. Mediterranean Sundance, uma versão de Rio Ancho, é prova disso. Mais dele: Solo Quiero Caminar e Monasterio de Sal.

Outro Novo-Flamenquista é o Gerardo Núñez, com um estilo que me parece mais conservador. Vídeos dele em Siguiriyas, Soleá de la Luna Coja e Sevillanas. Os artistas citados costumam misturar o Flamenco com outros ritmos, como o Jazz, Rumba e etc. Para os puristas e ortodoxos, temos os cantaores Fosforito e Antonio Mairena. Vocês podem se aprofundar mais com os vídeos de flamencodeverdad.

Por fim, voltando ao pop, após os anos 90 o Flamenco deu às caras, como nas músicas Have You Ever Really Loved A Woman, com participação do Paco de Lucía, Spanish Guitar, Un-break My Heart e Don't Speak.

¡Hasta!

2 comentários:

  1. Tinha um cara na minha sala do mackenzie q tinha uma banda cover de Gipsy kings e tocava um flamengo meio lá menor com sol fá mi ai, mas era divertido... botava a galera pra pular!

    ResponderExcluir
  2. Acho que esclareceram alguma coisa sobre o flamenco, pra alguém (eu) que não sabia nada sobre. E música africana!
    Falem um pouco sobre música celta. E mais pra frente um pouco de música brasileira.

    Só não deixem de postar!! =D

    grande abraaço

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...