Acid Jazz

Yo!

Também começarei com um estilo que é um dos meus favoritos: Acid Jazz. Alguém que ouvir Acid Jazz claramente irá notar elementos de música Black norte-americana, como Funk, Soul e Disco, com uma pitada de ‘eu sou mais cult que você’.

Acid Jazz nasceu na Inglaterra ali acabando os anos 80, começando os 90. AJ (vou chamar de AJ para poupar caracteres) é bastante marcado pela linha de baixo bastante dinâmica e pronunciada, pela bateria preenchida (e afinada de um jeito bem anos 90) e pela guitarra quase sempre fazendo aquela batidinha aguda de Funk. Invariavelmente tem elementos de Funk e Jazz, como metais, percussão, flautas, piano e etc. Ah, sim. Também é mandatório um bom vocal, desses típicos de música Black, mas mais clean, sem os exageros e vibratos habituais.

Pros que quiserem ouvir um bom AJ, não tem como escapar: Jamiroquai. Com certeza são os mais pop do gênero e um dos melhores. Infelizmente, por motivos contratuais e intriguinhas de banda, Jamiroquai só é mais legal até 98. Nesse início eles estavam mais ecológicos e descolados, alternativos. Depois disso eles começaram a ficar pops e eletrônicos demais (Ah, o dinheiro e os carros!) e se converteram quase integralmente ao Disco. Lançaram um álbum novo sob nova direção, mas não voltaram às origens. Atenção! Muita gente acha que Jamiroquai é o nome do cara que canta. Não! O nome dele é Jay Kay. Jamiroquai é a banda. O marcante do Jamiroquai, principalmente nesse comecinho, é o baixo prodígio do Stuart Zender, o didgeridoo de Wallis Buchanan, que de quando em vez dá as caras, e o vocal quase feminino, do Jay Kay. Se faz alguma diferença, o Jota Quest é declaradamente inspirado e fã do Jamiroquai. Para ouvir: When You Gonna Learn, Too Young To Die, Music Of The Mind, Blow Your Mind, Space Cowboy, Virtual Insanity, Cosmic Girl e mais uma infinidade. Vale a pena baixar os primeiros discos deles.

Outro grupo famoso, porém menos conhecido, do mundo do AJ é o Brand New Heavies. O estilo deles é mais sutil, mais leve, mais ligado ao charme cool dos anos 90. Deles não posso dizer que conheço muito. Gosto mais da fase em que a N’Dea Davenport cantava. Parece que as coisas eram mais AJ e menos R&B. Enfim. Deles recomendo os hits Dream Come True, Never Stop, Stay This Way, Spend Some Time e o instrumental BNH.

Pra acabar, alguns outros nomes do AJ legaizinhos: Incognito, com Still A Friend Of Mine (linha de baixo maravilhosa), Groove Collective, com Lift Off (tem mais cara de música ambiente), D-Influence (raro!), com Good 4 We, e o japonês Shinichi Osawa, conhecido como Mondo Grosso, que tem um ar mais exótico e eletrônico (nessa mesma época os japoneses criariam o Shibuya-Kei, que lembra um pouco Acid Jazz, Bossa Nova e várias outras coisas).

See ya, mates!

2 comentários:

  1. Ainda tu tem a audácia de dizer que não entende de música. Ora, valha-me!

    humilhou meu post africano

    uheauheauheahue

    Jamiroquai na veia. Preferidas: Everyday, Falling, Tallulah e Blow Your Mind.

    ResponderExcluir
  2. Muito legal o blog, os textos são bem claros e faceis de entender. Não parece que você quer vomitar pedância mas, sim, informar.
    Para mim isso que faz um blog ser bom e divertido de frequentar.

    Parabéns!

    Marco

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...